Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Alagoas

Apostando no etanol, usinas brasileiras azedam em açúcar

Por: Vale Agora Web em 05/12/2018 às 6:59

noticia_54544As empresas brasileiras de açúcar estão aumentando sua capacidade de produzir etanol diante dos preços mundiais deprimidos do açúcar e das políticas governamentais que devem impulsionar a demanda pelo biocombustível.

Uma mudança para o etanol na safra de 2018-19 reduziu a produção de açúcar do Brasil em 9 milhões de toneladas para uma baixa de 12 anos e mais mudança para o biocombustível na próxima temporada poderia ajudar a acabar com um superávit global pesando sobre os preços do açúcar.

O Brasil também pode perder sua coroa como o maior produtor de açúcar do mundo para a Índia pela primeira vez em 16 anos, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA.

Para as processadoras de cana-de-açúcar brasileiras, a mudança para etanol provou ser um trade-off atraente, já que o foco maior no biocombustível parcialmente protegeu as usinas de uma queda nos preços globais do açúcar em setembro para o menor nível desde 2008.

Executivos de grandes empresas brasileiras de açúcar Biosev e Usina Coruripe www.usinacoruripe.com.br/en , bem como os produtores menores, como Usina Batatais us.usinabatatais.com.br e Usina Cerradão www.usinacerradao.com.br , disse à Reuters que eles agora estão investindo em mais capacidade de etanol antes da próxima temporada.

A Biosev, por exemplo, a segunda maior processadora de cana do Brasil, disse que instalou colunas de destilação em duas usinas do Mato Grosso do Sul para dar às usinas a opção de usar 90% de sua cana para etanol, uma alta de 50%.

Em outro sinal de que a indústria está fazendo uma aposta de longo prazo no etanol, em linha com a política brasileira de biocombustíveis, a JW , uma das principais fabricantes de equipamentos para etanol, disse à Reuters que contratou 200 pessoas para lidar com um aumento nos pedidos.

O Brasil lançou pela primeira vez políticas para usar mais biocombustíveis em 1975, depois que o embargo de oferta da OPEP elevou os preços do petróleo. Os chamados carros flex-fuel que funcionam com etanol puro ou uma mistura de gasolina e etanol agora compõem 80% da frota de veículos leves do Brasil.

Em um novo impulso, o governo aprovou este ano um programa chamado RenovaBio que obriga os distribuidores de combustível a aumentar gradualmente a quantidade de biocombustíveis que eles vendem a partir de 2020.

Fonte O Petroleo

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário