Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019
America Latina

Opositores foram para o “tudo ou nada” na Venezuela, diz Mourão

Vice-presidente avalia que "não há mais recuo" na situação do país

Por: Vale Agora Web em 30/04/2019 às 19:53

201904301810_1d40081233O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou hoje (30), após reunião no Palácio do Planalto, que o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, e o líder opositor Leopoldo López, foram para o “tudo ou nada” e que “não há mais recuo” na situação do país vizinho. Mourão prevê um agravamento da crise na região.

“O Guaidó e o Leopoldo López foram para uma situação que não tem mais volta. Não há mais recuo. Depois disso aí ou eles vão ser presos ou o Maduro vai embora. Não tem outra saída para isso aí”, afirmou.

Participaram da reunião para discutir a situação no país vizinho, além do presidente Jair Bolsonaro e do vice Hamilton Mourão, os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Intervenção

Mourão reafirmou que não existe possibilidade de eventual ação de intervenção militar na Venezuela. Ele disse que não há informações detalhadas sobre a real situação venezuelana, no momento, e que o governo brasileiro tem recebido informações do adido militar no país, “que são limitadas”.

“Tem que esclarecer a situação, que está confusa”, ressaltou o vice-presidente.

Mourão também enfatizou que o melhor desfecho para a Venezuela “é sempre a saída do Maduro”. O governo brasileiro reconhece Guiadó como presidente encarregado do país vizinho desde o início do ano.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, admitiu que Juan Guaidó não dispõe de apoio militar no alto escalão das Forças Armadas venezuelanas, leais a Nicolás Maduro. “Temos a impressão que o lado de Guaidó é fraco militarmente”, disse.

 Por Agência Brasil  

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário