Quarta-Feira, 28 de Junho de 2017
Geral

Empresa de Alagoas é acusada de participar de importação ilegal de fuzis no Rio

Por: Vale Agora Web em 05/06/2017 às 15:51

201706021107_1abe41fff3Uma investigação desencadeada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro aponta que uma empresa localizada em Alagoas é uma das responsáveis pela importação ilegal de fuzis entre os Estados Unidos e o Brasil, descoberta na última semana.

Os policiais apreenderam 60 fuzis, dos modelos AK-47, AR-10 e G3, dentro de aquecedores para piscinas. O material deveria ser distribuído entre traficantes de comunidades cariocas, segundo a investigação, e usado contra as forças policiais.

Conforme levantamento divulgado pelo Fantástico, da TV Globo, a empresa alagoana está localizada no Edifício Trade Center, no Centro de Maceió. O nome não foi revelado, mas ela está associada a outros três grupos na importação.

A informação foi repassada à polícia pelo despachante Márcio Pereira, que liberava a entrada das armas. Ele trabalhava para Frederik Barbieri, considerado o maior traficante de armas do Brasil e que reside em Miami, nos Estados Unidos.

Além da empresa sediada em Alagoas, outras três empresas – todas localizadas no estado do Rio de Janeiro – são apontadas como integrantes da importação ilegal. Os fuzis custaram, em média, R$ 8 mil e seriam revendidos por até R$ 70 mil.

A Polícia Civil afirma que Frederik Barbieri contrabandeava armas desde 2010, ano em que ele viajou para os Estados Unidos, onde vive atualmente e de onde o armamento saiu. O suspeito é dono de empresas de importação e exportação.

 Por Gazetaweb, com agências 

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário