Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018
Geral

Encenações e celebrações marcam a Semana Santa

Por: Vale Agora Web em 26/03/2018 às 11:06
FOTO: PATRÍCIA BASTOS

FOTO: PATRÍCIA BASTOS

História mais famosa do mundo, a Paixão de Cristo continua emocionando fiéis durante a Semana Santa. Para além das encenações amadoras promovidas por escolas e igrejas, alguns espetáculos em Alagoas alcançaram nível de profissionalismo e excelência que passaram a atrair não só moradores de cidades vizinhas, mas também turistas de outros estados.

O diretor da encenação na Cidade de Maria, em Craíbas, Marcos Cordeiro, afirma que, apesar de o número de turistas ter aumentado nos últimos anos, o espetáculo não perdeu o caráter de reverência religiosa.

“A gente costumava dizer que o público da Paixão de Cristo é diferenciado, porque quem assistia eram os fiéis que queriam relembrar a história. Com o passar dos anos, a gente percebeu um outro tipo de público, de turistas, que estava sendo atraído pela qualidade da montagem. No ano passado mesmo, a gente recebeu pessoas de Pernambuco, Paraíba e Bahia, que viajaram até Craíbas para assistir à nossa encenação”, declarou.

Para que a montagem simplesmente não repita a do ano anterior, Marcos Cordeiro afirma que busca fazer inovações nas cenas, modificando algumas marcações, para que o público veja um espetáculo que, apesar de contar a mesma história, é apresentado de maneira diferente a cada ano.

“É muito difícil apresentar uma história que é conhecida no mundo todo e que é encenada em vários locais, mas a gente busca sempre desenvolver de uma maneira diferente, contar a história de uma maneira emocionante”, conta o diretor, que participa das encenações da Paixão de Cristo na Cidade de Maria antes mesmo da construção do teatro a céu aberto, que é considerado o maior do País em extensão, com 300 mil metros quadrados de área total e capacidade para receber até 20 mil espectadores por vez.

Paixão de Cristo em Craíbas terá apresentação única nesta segunda-feira

FOTO: PATRÍCIA BASTOS

Assim como no ano passado, a Paixão de Cristo da Cidade de Maria será apresentada em um único espetáculo, nesta segunda-feira, 26. A entrada é franca, mas os organizadores pedem que o público leve dois quilos de alimento não perecível, que deverão ser doados para uma comunidade terapêutica que funciona no local. Os portões serão abertos às 18h, e a peça será apresentada a partir das 19h30.

Na Cidade de Maria, todas as 300 pessoas que participam da montagem, da produção, ao elenco, são de moradores locais ou, no máximo de outros municípios alagoanos. De fora, apenas o sistema de iluminação e som, serviço contratado em Sergipe.

No elenco principal, os atores são experientes e já participaram de várias montagens, como Nivaldo Azarias, que faz o papel de Judas e também interpretou um cangaceiro no filme “Entre Irmãs”. Um dos sacerdotes da apresentação, Roberto Tenório, participa de outras montagens como a comédia “A filha do coronel”. Os dois, junto com Henrique Silva, que pela primeira vez está atuando como Satanás, após trabalhar por cinco anos apenas na produção do espetáculo na Cidade de Maria, estão também envolvidos na apresentação da Paixão de Cristo no bairro de Baixa Grande, Arapiraca.

“Estamos todos trabalhando de forma voluntária e conseguimos patrocínio para a montagem dos cenários e figurino. Apesar de ser uma montagem mais simples, o espetáculo apresenta os momentos principais da Paixão de Cristo e tem duração de 2h”, explica Roberto. A apresentação está marcada para a Sexta-feira Santa, às 19h30, na Vila do Padre, bairro Baixa Grande.

Apresentações contam com grande estrutura

O monumento do Cristo do Goiti, em Palmeira dos Índios, integra o cenário da 16ª edição da peça “Jesus, o Rei dos Judeus. A Nossa Paixão”, que será apresentada entre os dias 29 e 31, a partir das 19h30, com entrada gratuita. O espetáculo, que utiliza as pedras e vegetação natural como locações, além de quatro palcos representando palácios romanos, templos e a casa onde aconteceu a Santa Ceia

A montagem é realizada pela Cia Teatral Mestres da Graça, envolve 150 pessoas entre produção e elenco – todas de Palmeira dos Índios, sob a direção de Marcone Correia e apoio da prefeitura. A estrutura conta também com sistema de som e iluminação, além de um telão, para facilitar a visibilidade dos espectadores que não conseguirem chegar tão próximo ao palco. A cada noite, é esperado um público de 5 mil pessoas.

Junqueiro

Em Junqueiro, a “Paixão de Cristo da Luz Divina”, que será apresentado no teatro a céu aberto Lulu Barbosa nos dias 30 e 31 de março, a partir das 20h, também investe em uma montagem elaborada, com efeitos especiais e todos os anos convida um ator de renome para atrair o público, mas sem deixar de também inserir a juventude local na produção e no elenco. Este ano, a peça terá Dênis Silva como Jesus, Tony Durval como Herodes e Júlio Rocha, que participou de várias novelas da Globo, filmes e do Superchef Celebridades, no programa da Ana Maria Braga. Ele fará o papel de Pilatos.

Arcebispo de Maceió reforça legado de Jesus Cristo

Dom Antônio Muniz presidirá atos religiosos em Maceió

FOTO: DIVULGAÇÃO

O legado de sacrifício de Jesus Cristo é o cerne da mensagem de Páscoa que a Igreja Católica espera ser assimilada e seguida pela população alagoana, avisa dom Antônio Muniz, arcebispo de Maceió.

“O testemunho do sacrifício, da morte e da ressurreição de Jesus Cristo é um grande espelho, um exemplo a ser considerado e seguido pela população durante o período de Páscoa”, completa o religioso.

A partir deste Domingo de Ramos, 25, quando se relembra a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, dom Antônio reforça a importância do legado de Jesus durante missa na Catedral Metropolitana.

Na Quarta-feira Santa, 28, ocorrerá o Ofício das Trevas. O Tríduo Pascal começa na quinta-feira, 26, com a Missa do Crisma, na Catedral Metropolitana, às 9 horas. Já à noite, será celebrada a Missa do Lava-pés, às 19 horas. Logo após, ocorrerá a transladação do Santíssimo para a Igreja do Rosário.

Este é o momento em que é relembrada a última Ceia de Jesus com seus discípulos. Além disso, neste dia Jesus instituiu a Eucaristia e o Sacerdócio.

A Sexta-feira Santa, 27, começará com o Ofício da Agonia, ao meio-dia. Na parte da tarde, às 15 horas, ocorrerá a Celebração da Paixão, seguida da Procissão do Senhor Morto pelas ruas do Centro de Maceió.

Nesse dia, a Igreja recomenda jejum e abstinência total de carne e acompanha, em silêncio, os passos de Jesus até a morte na cruz. No Sábado Santo, os católicos irão celebrar a Vigília Pascal, a partir das 19 horas, com início na Praça Dom Pedro II, no Centro da cidade, indo para a Catedral.

O Círio Pascal representa Jesus Cristo ressuscitado e vitorioso sobre a morte.

Encerrando o período da Semana Santa, vem o Domingo de Páscoa, 1º de abril, quando se comemora a Ressurreição de Jesus Cristo. Neste dia haverá a Missa da Páscoa em dois horários: às 9h e às 17 horas.

Todas as celebrações religiosas serão presididas pelo arcebispo de Maceió, dom Antônio Muniz Fernandes.

Por Patrícia Bastos, Maikel Marques, Fernanda Medeiros

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário