Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017
Cultura

Quebrangulo é selecionada em projeto nacional e história vai ser tema de filme

Por: Vale Agora Web em 12/08/2017 às 8:41
idade de Quebrangulo é selecionada em projeto nacional de cultura FOTO: DIVULGAÇÃO

idade de Quebrangulo é selecionada em projeto nacional de cultura
FOTO: DIVULGAÇÃO

Quebrangulo está entre as cidades selecionadas pela sexta edição do projeto “Revelando os Brasis”, cujas histórias voltadas à cultura popular serão transformadas em filmes. Ao todo, são 15 histórias do interior brasileiro, vindas de pequenos lugares espalhados por todas as regiões do país. Contadas por moradores de cidades com até 20 mil habitantes, os enredos (verdadeiros e inventados) foram selecionados no último Concurso Nacional de Histórias.

A manifestação folclórica é o tema da história “Nega da Costa – Uma Cultura Popular na Terra de Graciliano Ramos”, de Joelson de Oliveira Silva, morador de Quebrangulo, em Alagoas.

O “Revelando os Brasis” promove a democratização do acesso aos meios de produção audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades a possibilidade de contar suas próprias histórias em filmes. Realizado pelo Instituto Marlin Azul, com o patrocínio da Petrobras, o projeto é um instrumento de registro da memória e da diversidade cultural do país e revela novos olhares sobre o Brasil.

Os autores participarão de oficinas de realização audiovisual, no Rio de Janeiro, entre 14 e 27 de agosto, onde estudarão todas as etapas de produção e depois voltarão para os municípios de origem para transformar as histórias em filmes. A lista dos selecionados está disponível no site www.revelandoosbrasis.com.br.

Todas as cinco regiões brasileiras têm representantes selecionados nesta nova edição: Nordeste (05), Sudeste (05), Norte (02), Sul (02) e Centro-Oeste (01). Doze estados têm histórias escolhidas: Bahia (02); Minas Gerais (02); Espírito Santo (02); Alagoas (01); Ceará (01); Pará (01); Mato Grosso (01); Paraíba (01); Rio Grande do Sul (01); Santa Catarina (01); São Paulo (01); e Tocantins (01).

A sexta edição selecionou histórias vindas das seguintes cidades: Lençóis e São José do Jacuípe (Bahia); Barroso e Urucuia (Minas Gerais); Laranja da Terra e Vargem Alta (Espírito Santo); Bom Jesus do Tocantins (Pará); Quebrangulo (Alagoas); Icapuí (Ceará); Nossa Senhora do Livramento (Mato Grosso); São Domingos do Cariri (Paraíba); Antônio Prado (Rio Grande do Sul); Guarujá do Sul (Santa Catarina); Águas de Lindóia (São Paulo) e Arraias (Tocantins).

Histórias voltadas à cultura brasileira serão transformadas em filme

FOTO: DIVULGAÇÃO

 

Oficinas – Os autores das histórias selecionadas participarão das Oficinas Realização Audiovisual no Rio de Janeiro, entre os dias 14 e 27 de agosto. O curso é composto por aulas de introdução à linguagem audiovisual, roteiro, direção, produção, direção de arte, fotografia, som, edição/ finalização, pesquisa, mobilização comunitária e direitos autorais. Neste período os autores transformam suas histórias em roteiro, elaboram um plano de produção e se preparam para dirigir o filme.

Os filmes – Após as oficinas, os selecionados retornam às suas cidades para transformar as histórias em filmes com até 15 minutos, com a participação da comunidade. Na pré-produção, os diretores mobilizam os moradores interessados em integrar a equipe local. Nas filmagens, os autores e a equipe contam com o apoio de profissionais contratados pelo projeto.

Nas cinco primeiras edições do projeto, entre 2004 e 2016, foram produzidas 180 obras, entre ficções, documentários e uma animação. Os filmes realizados são lançados nas comunidades e nas capitais dos estados selecionados através do Circuito Nacional de Exibição Revelando os Brasis, que monta um cinema ao ar livre em ruas e praças dos municípios. Ainda na fase de difusão do projeto, os filmes são lançados em DVD com distribuição gratuita entre realizadores, secretarias, organizações sociais e culturais, cinematecas, universidades e cineclubes de todo o Brasil. As produções também são exibidas no programa de TV Revelando os Brasis, realizado em parceria com o Canal Futura.

HISTÓRIA

Para proteger as esposas e namoradas do assédio durante as festas, no período colonial brasileiro, os negros se vestiam de mulher e dançavam de costas para os senhores de engenho. Ao longo dos séculos, a manobra dos escravos para escaparem da dominação branca ganhou tons de folguedo conhecido como Nega da Costa. Com risco de extinção, a tradição popular é mantida pelos homens que pintam seus corpos de preto, se vestem de baianas, cantam e dançam em tom de irreverência animados por instrumentos de percussão como ganzás e reco-recos.

Números do Revelando os Brasis

– 3.452 inscrições foram contabilizadas em todas as edições do Concurso Nacional de Histórias do projeto;

– 180 obras, entre documentários, ficções e animação, foram produzidas em cinco edições;

– 275 sessões de lançamento dos filmes foram realizadas nas cidades e capitais dos estados durante as cinco edições do Circuito Nacional de Exibição.

Saiba mais – O Instituto Marlin Azul é uma entidade sem fins lucrativos com sede no Espírito Santo. Criada há 18 anos, a instituição promove ações e projetos comprometidos com a cultura, a arte e a educação através da democratização do acesso aos bens culturais audiovisuais. Em parceria com órgãos públicos, instituições sociais e organizações privadas, o Instituto desenvolve projetos de formação, produção e difusão audiovisual para todos os públicos.

Por Gazetaweb, com assessoria

 

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário