Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020
Economia

Bolsa Família paga R$ 75,87 milhões a 386,7 mil beneficiários em Alagoas

Por: Vale Agora Web em 21/01/2020 às 16:18

O pagamento do Bolsa Família de janeiro irá injetar R$ 75,87 milhões na economia de Alagoas, segundo dados da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social divulgados nessa segunda-feira, 20. A transferência de renda, que se estenderá até o dia 31, irá beneficiar a 386,7 mil famílias nos 102 municípios alagoanos. Em média, cada beneficiário irá receber R$ 196,18.

Este mês, o maior benefiário do programa federal na região Nordeste é o Estado da Bahia, com a transferência de R$ 331,5 milhões, distribuídos para 1,74 milhão de famílias – numa média de R$ 189,66, por beneficiário. Em seguida aparecem Pernambuco, com R$ 209,48 milhões, Maranhão (R$ 201 milhões) e Ceará (R$ 193,92 milhões). Sergipe é o estado com o menor volume de recursos: R$ 48,05 milhões, distribuídos para 279,5 mil famílias – numa média de R$ 171,91 por benefício.

Em todo o País, segundo os dados do governo federal, o programa vai repassar R$ 2.526 bilhões para mais de 13.228 milhões de famílias, num valor médio de R$ 191 por benefício. Por região, o Nordeste é a mais beneficiada, com a injeção de R$ 1,31 bilhão distribuído para 6,75 milhões de famílias. Em seguida aparecem o Sudeste (R$  608,05), Norte (R$ 360,51 milhões), Sul (R$ 134,63 milhões) e Centro-Oeste (R$  103,47 milhões).

Criado em 2003 como programa de distribuição de renda, o Bolsa Família atende a famílias em situação de extrema pobreza, com renda mensal de até R$ 85 por pessoa, e de pobreza, com renda mensal entre R$ 85,01 e R$ 170.

No caso das famílias pobres, têm acesso ao benefício aquelas com gestantes, crianças e adolescentes entre 0 e 17 anos. Os beneficiários recebem o dinheiro mensalmente e, em contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação.

Para fazer parte do programa, o responsável pela família deve procurar um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou um posto de atendimento do Bolsa Família no município. É necessário levar documentos de identificação pessoal, como carteira de identidade ou carteira de motorista e certidão de nascimento de todas as pessoas que vivem na residência.

Nessa segunda-feira, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, informou que o governo federal estuda melhorias no Programa. “Estamos discutindo a possibilidade de mudar para melhor. Não queremos tirar o benefício de quem precisa, mas vamos estimular a geração de emprego e renda, além de garantir educação de qualidade para as crianças. Afinal, essas são prioridades do nosso governo”, disse.

Segundo ele,  a pasta trabalha para garantir o benefício de quem realmente precisa. “Nós seguimos fazendo o pente-fino no Programa, removendo quem não precisa do dinheiro. Assim, podemos garantir que famílias realmente necessitadas tenham acesso ao benefício”, disse.

 

Por Gazeta Web

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário