Sexta-Feira, 14 de Agosto de 2020
Economia

Faturamento da rodoviária de Maceió cai mais de 95% durante a pandemia

Por: Vale Agora Web em 17/05/2020 às 16:44

O Decreto de Emergência do governo de Alagoas, que impõe o isolamento social e a pausa de serviços não essenciais, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, continua afetando o movimento e a economia do Terminal Rodoviário João Paulo II, na capital alagoana. Com o transporte intermunicipal suspenso e o interestadual reduzido, o faturamento no setor caiu cerca de 95%. Dos funcionários do terminal, dois estão afastados suspeitos de terem contraído o vírus.

A pandemia afetou o movimento e o faturamento do Terminal Rodoviário João Paulo II, que registrou uma queda de cerca de 95%, segundo o gerente do terminal, Selmo Oliveira.

“O faturamento hoje deve ter caído na faixa de 95%, talvez até mais. Nós computamos o número de embarques e a queda foi de 98%, isso com número de passageiros embarcados no Terminal Rodoviário”, contou Selmo Oliveira.

“Aqui na rodoviária ainda estamos enfrentando a pandemia do coronavírus. As dependências da terminal estão praticamente vazias, com operação mínima e funcionando apenas o transporte interestadual, seguindo o que foi protocolado do decreto do governo. Dos funcionários, dois estão afastados suspeitos de terem sido contaminados pelo coronavírus”, informou o gerente.

Segundo Selmo Oliveira, apenas algumas empresas de transporte interestadual ainda estão operando dentro do terminal, entre elas, a Real Alagoas, com apenas uma partida para Recife-PE e Aracaju-SE, tendo os demais horários suspensos. A empresa São Luiz continua com uma linha para Mato Grosso, e a Gontijo, que é a empresa oferecendo mais horários de viagem, está com cinco por dia.

Dos setores que permanecem em atendimento no terminal estão uma loteria, uma farmácia, três caixas eletrônicos 24h e os guichês que atendem às poucas linhas do transporte interestadual que estão ativas. Selmo informou também que a rodoviária passa por limpeza todos os dias.

A respeito do transporte irregular, que vem crescendo devido ao decreto que impede o transporte intermunicipal, Selmo Oliveira conta que a situação também é preocupante para o setor de transporte. “O transporte complementar está parado, estão até mesmo fazendo manifestações contra isso, porque estão sendo muito prejudicados. Paralelo a essa situação, o transporte clandestino ainda é uma preocupação nossa, porque operam mesmo durante a pandemia, prejudicando tanto o sistema de transporte como a própria população”, finalizou o gerente.

 

 

Por: Gazeta Web

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário