Quinta-Feira, 17 de Agosto de 2017
Concurso

Edital de concurso para Educação de Maceió deve ser lançado

Por: Vale Agora Web em 07/11/2016 às 20:58

204303_ext_arquivoNa manhã desta terça-feira (1º), o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB) garantiu o lançamento de edital do concurso para preencher vagas na Secretaria Municipal de Educação (Semed) até o final do ano. De acordo com ele, houve uma grande defasagem de profissionais no setor por conta de aposentadorias nos últimos quatro anos. Além do concurso, o prefeito comentou diversos investimentos que devem ser feitos na capital durante o seu novo mandato.

Confira os tópicos abordados em entrevista de Rui Palmeira na TV Gazeta de Alagoas com relação ao que deve ser feito em Maceió nos próximos quatro anos.

Concursos públicos

“Nós vamos lançar o edital de um grande concurso pra Educação até o final desse ano. Nós temos uma carência muito grande sobretudo por conta das aposentadorias que aconteceram nesses quatro anos. Então vamos lançar um concurso para a Educação ainda este ano, portanto é importante que as pessoas fiquem atentas. Lançaremos o edital e devemos fazer o concurso no primeiro semestre do próximo ano. A área de Educação é nossa prioridade no momento”.

Reativação de pardais

“Os pardais estão aguardando uma posição definitiva do Tribunal de Contas. Nós entendemos que fiscalização eletrônica é uma necessidade pra coibir o excesso de velocidade. Nenhum radar é escondido, nós não temos esse interesse. Nós queremos reduzir a velocidade e com isso reduzir os acidentes. Nos quarenta dias em que eles ficaram ligados não houve acidente com mortes nos trechos aonde estão esses radares, então entendo que é uma necessidade, tanto que das 27 capitais, 26 tem radares funcionando. Somente Maceió não tinha, então é uma questão de responsabilidade que eu tenho com a população e vamos religar assim que o Tribunal de Contas der o aval ao contrato”.

Construção de 10 postos de saúde e UPA no Jacintinho

“Diversas unidades precisam ser reformadas, conseguimos entregar 32 nesses quatro anos. Até o final do ano, teremos novas unidades entregues e reformadas e estamos correndo atrás dos 10 postos de saúde e da UPA do Jacintinho, já temos um terreno em vista. Esperamos iniciar no próximo ano a construção da UPA”.

Recursos

“Buscar apoio do governo federal, do Ministério da Saúde, a gente está articulando uma visita ao ministro. Buscar otimizar o recurso municipal que já não é muito para investimento. Apostar todas as nossas fichas no financiamento com bancos internacionais que vão trazer um grande aporte de obras para Maceió: esgotamento sanitário, pavimentação, obras de mobilidade, habitação. Iniciar no próximo ano um grande pacote de obras por toda a cidade”.

Agentes de endemias

“Em relação aos equipamentos pros agentes de endemias, parte deles nós conseguimos adquirir. A outra parte estamos assinando no dia de hoje. Vou ao gabinete, o secretário Nonô já assinou, conseguimos fazer a licitação, vamos empenhar e adquirir esses equipamentos. Os agentes vão chegar no verão com todos os equipamentos necessários: botas, bolsas, mochilas”.

Remédios

“Temos em estoque na nossa farmácia central 80% de medicamentos obrigatórios do município. Estoque alto, dos maiores do Brasil. Temos um planejamento para aquisição de medicamentos. Mas claro que um ou outro medicamento, a gente lança licitação, ela é chamada de licitação deserta porque não aparecem interessados em vender aquele tipo de medicamento. Isso gera muito transtorno, a gente sabe disso. Mas hoje temos um sistema de transparência, nós hoje conseguimos acompanhar através do site do município quais medicamentos nós temos, aonde temos. Estamos integrando o sistema e já temos em diversos postos essa integração e queremos levar pra totalidade das unidades de saúde de Maceió pro cidadão em tempo real saber o que tem em estoque e, claro, sempre buscar se planejar pra que não falte qualquer tipo de medicamento”.

PAM Salgadinho

“Nós conseguimos reformar seis blocos. Nós tivemos várias dificuldades. Uma delas é que ele é um prédio que pertence ao INSS até hoje, nunca cuidaram de passar aquele prédio para o município. A gente conseguiu recurso federal pra reformar dois blocos, quando a gente colocou no sistema, o próprio ministério diz que não podia liberar o recurso porque o prédio não pertencia ao município. Estamos trabalhando isso, essa regularização que nunca foi feita. Vamos pensar pro futuro um novo modelo de gestão pro PAM Salgadinho. Se for o caso, fazer como estamos fazendo com sucesso com as duas UPAs, que é administração através de Organização Social”.

Obras da orla lagunar

“Essa é um financiamento externo com o BID, já está assegurado, foi aprovado pela Cofiex que é um órgão interministerial do governo federal. Ele passa agora pelo Tesouro Nacional e pelo Senado Federal, mas são questões meramente burocráticas. Temos muita fé em iniciar esse projeto, iniciar a execução das obras no primeiro semestre do próximo ano. Já conversei com algumas pessoas do BID logo após nossa reeleição. O banco está muito animado com esse projeto. É um projeto estruturante para a região da lagoa com saneamento, com pavimentação, com 1.900 habitações. Nós não vamos tirar as pessoas de lá e coloca-las no Benedito Bentes ou no Tabuleiro como foi feito no passado. Vamos mantê-las no seu habitat. É um grande desafio para a cidade”.

Guarda municipal

“Nós conseguimos nesses quatro anos equipar a guarda, nós adquirimos uniformes, coletes à prova de bala, pistolas de choque e, mais recentemente, nós conseguimos aprovação por parte da Superintendência da Polícia Federal do porte de arma de fogo. Então a nossa meta agora é adquirir esse armamento. Claro, os guardas vão ter que fazer exames psicotécnicos, exames práticos de tiro, nós não podemos sair armando todo mundo, as pessoas que realmente tenham a capacidade serão devidamente armadas e com isso a gente vai conseguir utilizar melhor a Guarda Municipal”.

Integração temporal entre todas as linhas

“Nossa ideia é a integração temporal ser total no sistema até o final desse ano. Nós já temos a integração funcionando em diversas linhas e vamos até o final desse ano ter integração de 100% do sistema. Com isso as pessoas vão poder dentro do período de uma hora e meia pegar mais de um ônibus pagando somente uma passagem, o que é muito positivo sobretudo pra quem mora mais distante do Centro, trabalha e estuda da região central”.

Buracos na cidade

“Temos uma malha asfáltica antiga em boa parte da cidade e o que faltou foi recurso pra fazer tudo. A gente conseguiu recapear várias vias importantes de Maceió, mas tem muito a fazer. A nossa meta é com esse financiamentos que estamos lutando, conseguimos iniciar esse grande pacote de obras e com recurso próprio a gente conseguir fazer exatamente essas pavimentações, recapeamentos, já que nós vamos ter uma pequena folga já que pra novas obras vamos utilizar esse recurso dos financiamentos externos”.

Riacho Salgadinho

“No caso do Salgadinho, tanto lá como em Águas Férreas, na Cruz das Almas, que é também um local degradante, eles estão dentro do financiamento do programa ‘Nova Maceió’. Vamos usar uma tecnologia chamada ‘Jardim Filtrante’ que é a tecnologia utilizada em várias partes do mundo. Uma empresa francesa já executou o projeto. Temos o projeto pronto e vamos com esses recursos do financiamento fazer um trabalho pra minimizar, não dá pra falar em despoluir, mas vamos conseguir melhorar bastante o aspecto degradante do Salgadinho e do Riacho das Águas Férreas”.

Saneamento

“Temos previsão de saneamento em diversas áreas que hoje não têm cobertura de saneamento, como é o caso do Litoral Norte e várias regiões da parte alta da cidade. Santa Lúcia, Santos Dumont, Gama Lins, parte do Tabuleiro, tudo que a gente vai fazer de pavimentação, serão mais de 600 ruas, vai também receber investimento em saneamento básico”.

Prioridade no segundo mandato

“Reformar os equipamentos que a gente não conseguiu. De Saúde e de Educação. Na Educação conseguimos reformar mais de 80 escolas e creches, mas ainda falta aí umas quarenta que a gente precisa chegar com grandes reformas, então essa meta que nós temos pros próximos anos de conseguir recuperar 100% dos equipamentos públicos de Maceió”.

Creches

“Até o final do ano temos algumas por inaugurar. Nesse período eleitoral foram inaugurados, salvo engano, mais duas e vamos lutar, buscar audiência no Ministério da Educação pra buscar recursos para fazer pelo menos mais vinte creches já que é uma necessidade extrema na nossa periferia, os equipamentos tão importantes para o maceioense”.

Maior dificuldade

“Sem dúvida a questão financeira. Continua a situação extremamente difícil do município de Maceió e de todo o país. Então isso obviamente nos preocupa bastante, mas temos que fazer do limão a limonada e utilizar o que temos, otimizar, buscar parcerias para continuar trazendo obras pra Maceió”.

Bruno Martins

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário