Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Esportes

Cabo reconhece mal jogo do CSA, mas valoriza resultado: “tremenda goleada”

Por: Vale Agora Web em 14/05/2018 às 9:05
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS

FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS

Após a vitória sobre o Boa Esporte-MG, por 1×0, na tarde deste sábado (12), no Estádio Rei Pelé, o técnico azulino Marcelo Cabo admitiu, em entrevista coletiva, que o time deixou a desejar diante dos mineiros, mas valorizou o triunfo azulino nesta tarde.

– Eu costumo dizer que na Série B, 5 a 1 e 1 a 0 são três pontos. Hoje, termino o jogo, neste exato momento, em primeiro lugar da tabela. Então, 1 a 0 para a gente foi uma tremenda de uma goleada, porque o que importa é a soma dos três pontos. Mas não foi aquela tarde-noite que a gente está buscando. Não jogamos bem, principalmente no primeiro tempo. No segundo, o time foi bem, fez o gol logo no início e teve a tranquilidade para ter o jogo controlado.

Cabo também ressaltou a importância de a equipe maruja não sofrer gol pela primeira vez na competição nacional.

– Acho que, hoje, foi ao contrário dos últimos jogos. A gente não foi bem no primeiro tempo, mas fizemos um bom jogo segundo tempo. Outro dado importante é que não tomamos gol. Isso é uma coisa que a gente estava buscando internamente, ou seja, sair zerado, coisa que não tínhamos conseguido. Então, acho que fizemos um bom segundo tempo, tendo, inclusive, oportunidade de ampliar o placar.

E o treinador fez questão de elogiar o Boa Esporte e alertou sobre as dificuldades que virão nas próximas rodadas.

– É aquela máxima que eu sempre falo: “Quem está no Z-4 tem capacidade para ganhar de quem está no G-4”. Individualmente, eu sabia que o time deles era muito bom. Então, a gente sabia que ia encontrar dificuldades, e a Série B é isso. A gente vai encontrar muita dificuldade quando jogar em casa porque, hoje, o CSA é uma equipe que passa a ser estudada. Talvez, no início do campeonato, os adversários não tinham tanta preocupação com o CSA, mas, agora, depois de entrarmos no G-4, o CSA foi apresentado ao futebol nacional, já que a gente passa a ser tão estudado quanto o rival.

Com quatro vitórias em cinco rodadas disputadas, o comandante marujo destacou que o trabalho está só no começo.

– A gente não pode esquecer os 45 pontos. Essa é a meta. Nós temos uma estrada muito longa. Não podemos nos iludir com esse bom início de competição. A gente tem que crescer junto a competição. A competição é muito longa, com 33 rodadas. Ou seja, só percorremos cinco quilômetros. Então, temos de considerar aquele maratonista que sai muito forte e que, se não souber dosar toda a maratona, não consegue chegar no pelotão da frente. Então, é preciso ter muita atenção nesse início, com toda prudência que a gente tem, além do respeito que a gente dispensou ao Boa Esporte.

Por Isaac Simões | Portal Gazetaweb.com

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário