Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019
Esportes

Jordi sobre jogo com Tricolor: ‘A gente vai lá e vai bater de frente com eles’

Goleiro azulino tem se destacado no CSA por suas belas e difíceis defesas e acredita que time pode conquistar um bom resultado dentro do Morumbi

Por: Vale Agora Web em 12/09/2019 às 23:11

Destaque no jogo contra a Chapecoense, no domingo passado, quando o CSA venceu por 2 a 0 e ele defendeu um pênalti, o goleiro Jordi falou, durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (12), sobre o poderoso São Paulo, de Daniel Alves e companhia, próximo adversário do Azulão, no domingo (15), no Morumbi. Mais confiante por causa da evolução que sua equipe vem tendo na Série A, o “paredão” azulino elogiou o técnico azulino, Argel Fucks e também afirmou que o CSA vai lá, no Morumbi, e vai bater de frente com o Tricolor.

“Acredito que eles vêm mais pressionados do que a gente, apesar da nossa situação um pouco desconfortável dentro do campeonato, mas eu não tenho dúvidas de que a gente possa sair de lá com um resultado bastante positivo. A gente sabe que quando começa a ter resultados positivos, naturalmente a confiança vai vindo aos poucos e isso vem acontecendo aqui”.

E prosseguiu, fazendo elogios a Argel Fucks: “Conseguimos uma vitória contra o Fluminense, agora contra a Chape, num jogo que era de seis pontos e não era fácil, pois a gente tinha que brigar ali por posição. O nervosismo é muito grande, mas o mais é importante é que os treinos, no dia a dia, têm condicionado a gente para esses jogos. Os trabalhos do Argel são bons. Ele é um cara muito competitivo, trouxe essa competitividade para cá e a gente tem levado isso que faz no dia a dia para dentro de campo”.

E cravou: “Um jogo contra o São Paulo, com uma vitória, é algo muito bom. Nos dá cada vez mais confiança e mais tranquilidade para poder ir no jogo saber que o gol vai sair e a vitória pode vir. Eu acredito que o respeito hoje dos outros clubes pelo CSA já mudou, eles já não vêm mais como antes. Então, a gente vai lá e vai bater de frente com eles”.

Jordi elogiou o trabalho que vem sendo feito pelo técnico Argel Fucks à frente do time azulino: “Ele é um cara muito competitivo”

FOTO: AILTON CRUZ

O goleiro azulino revelou que o grupo de jogadores já está ciente de que o São Paulo virá com um time mais completo, pois os atletas que estavam no DM já vão voltar para este jogo de domingo. “Já foi passado pra gente. Mas eu gosto de jogar em alto nível. Acredito que o São Paulo vai vir preparado porque ele vem de uma sequência de derrotas e há uma cobrança muito grande. Mas, por outro lado, nós estamos em uma ascensão. Nas últimas cinco partidas somamos sete pontos e acredito que o nosso time agora encaixou de uma maneira melhor. Entendemos a maneira de jogar”, lembrou.

Jordi acrescentou que já não há no grupo azulino mais aquela sensação de susto do tipo: “Nossa! Vamos jogar contra o São Paulo, que tem um jogador como Daniel Alves!”. E ele explicou: “Acredito que não existe. Acredito é que vamos lá para vencer. É lógico que o que a gente conseguir somar lá, um ou três pontos, será muito bom. Mas o mais importante é o que nós viemos fazendo e que acabamos de vir de uma vitória”.

Os goleiros têm se preparado mais para defender as penalidades máximas, como aconteceu com ele, que defendeu o pênalti cobrado por Everaldo, da Chapecoense, e também com o goleiro da Chape, que defendeu uma cobrança do centroavante azulino Alecsandro, nesse mesmo jogo. Sobre essa situação, Jordi disse que hoje em dia a cobrança de pênalti é bastante relativa, mas o que aconteceu nesses últimos anos, o que mais cresceu dentro do futebol, foi o treinamento de goleiros, que estão mais bem preparados.

Goleiro azulino Jordi também defendeu um pênalti no jogo contra o Bahia, na semana passada

FOTO: UENDEL GALTER

“A evolução do trabalho para goleiros em si aumentou muito e, como consequência disso, os goleiros têm pegado bastante pênaltis. Eu dou como exemplo o Gatito Fernandes, ano passado, que pegou muitos pênaltis em sequência. Isso pelo fato de que o rendimento do goleiro hoje é muito alto. O goleiro tem uma importância muito grande. Há todo um trabalho, uma análise, pela qual a gente estuda os batedores. Isso ajuda bastante, mas eles também sabem disso, porque eles estudam a gente. Mas naquele momento (da cobrança) é bastante intuição e sorte. Isso faz parte. Todos os clubes analisam as cobranças. A gente já vai sabendo mais ou menos como eles batem”, observou o “paredão” do CSA, que no jogo contra o Bahia, na semana passada, também defendeu uma penalidade cobrada por Artur.

Ao ser questionado se para este duelo com o São Paulo, dos jogos que o CSA disputou fora de casa, o time azulino, pela evolução que teve, pode sair de Maceió com um pouco mais de confiança, com a possibilidade mais real de conquistar uma vitória lá fora, Jordi afirmou que sim, que existe esta possibilidade, mas ponderou:

“Mas a gente está pensando primeiro em somar pontos e neste somar pontos a consequência é sair da zona de rebaixamento. Porque se a gente ficar com isso na cabeça, acaba que, aquilo que a gente tanto espera, pode vir como uma frustração. Quem cria muita expectativa pode se frustrar dentro dela. A gente não cria tanta expectativa, a gente sabe da nossa realidade, sabe que o importante é a gente jogar, manter a sequência de trabalho pra que gradualmente, no tempo determinado, a gente possa sair dessa zona do rebaixamento, que é o mais importante”.

Com um trabalho de grande expressão, Jordi tem sido um dos destaques do time azulino, com atuações bem comentadas pela imprensa nacional. Nos últimos seis jogos, ele teve incríveis 14 defesas difíceis. Ele comentou o que isso representa para ele, este bom momento que está vivendo.

Jordi também fez elogios à torcida do CSA: “Essa torcida é maravilhosa, que tem me abraçado e tem acreditado no meu trabalho”

FOTO: AILTON CRUZ

“Realmente, são números que vêm acontecendo. Acredito que é fruto de trabalho. É lógico que a gente fica um pouco surpreso, porque não esperava que eu pudesse estar fazendo uma campanha dessa. Mas, ao mesmo tempo, fico bem tranquilo porque sempre soube da minha capacidade. Eu vim pra cá sabendo que eu daria o meu melhor. Ouvi muitos dizerem que quando eu viesse pra cá, eu não teria muito o que fazer, porque disseram que a chance de a gente cair era muito grande. Então, eu estou provando o contrário, que um goleiro pode, sim, fazer a diferença, ele pode ajudar. Eu fazendo a minha parte lá atrás, com certeza dá mais confiança para aqueles lá na frente poderem jogar mais tranquilos. Tenho tido muita felicidade em relação a isso. Graças a Deus os números são bons, positivos e que eu possa continuar melhorando, pois tem um segundo turno aí pela frente”.

Ele acrescentou que nesta próxima fase do Brasileirão serão jogos às quartas-feiras e aos domingos e que serão dois meses “pegados”. Por isso vai prevalecer muito a parte mental, além da física. “O trabalho está sendo muito bem feito, a união do grupo é muito boa. Somos jogadores que queremos o melhor para este clube e podem ter certeza que todos querem fazer história aqui. O que não faltam é gana, trabalho. Jogamos contra o Bahia, lá dentro, de igual para igual. Faz parte o resultado não vir, mas acredito que manter essa regularidade é o que é para acontecer e vem acontecendo, graças a Deus. Aquela fase de perder vários jogos seguidos não está mais acontecendo e acredito que até o final da temporada não vai mais acontecer”.

E encerrou: “É uma energia bem positiva, logo após o pênalti, você ouvir a torcida gritando, celebrando a defesa. É gratificante demais! Essa torcida é maravilhosa, que tem me abraçado e tem acreditado no meu trabalho. Acabar o jogo e você passar perto da torcida e eles gritando seu nome como reconhecimento isso não tem preço, Fiquei muito feliz pela atuação e pelo reconhecimento do meu trabalho”.

 

 

 

 

Por Gazeta Web

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário