Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020
Interior

Homem que morreu após ter corpo incendiado sofria de problemas mentais

Por: Vale Agora Web em 24/01/2020 às 14:10

O homem de 32 anos que morreu após ter 70% do corpo queimado dentro de uma casa situada na cidade de Satuba, na Região Metropolitana de Maceió, sofria de problemas mentais e agia “como uma criança”, conforme relatos de familiares.

Remerson da Silva Araújo morava com a mãe e um irmão há cerca de 4 meses. Antes, eles estavam residindo na cidade de São Paulo-SP, onde ele foi vítima de um assalto, chegou a ficar desaparecido e foi encontrado, dias depois, com sinais de espancamento. Os problemas de saúde da vítima seriam decorrentes das agressões sofridas na capital paulista.

Na noite dessa quinta-feira (23), ele estava na praça central de Satuba, quando foi atraído para uma casa por uma mulher. Momentos depois, ele saiu do imóvel já com o corpo em chamas. Populares que estavam na localidade chegaram a apagar o fogo, mas Remerson teve 70% do corpo atingido pelas chamas. Ele foi levado a uma unidade de saúde da cidade e, em seguida, para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde entrou em óbito.

A mulher acusada de incendiar o corpo de Remerson foi presa e levada à Central de Flagrantes. Com ela, a polícia apreendeu uma garrafa pet contendo álcool que teria sido utilizado durante o crime. A identidade dela não foi revelada.

Ao contrário da informação divulgada inicialmente, familiares informam que a mulher não era casada com Remerson e, conforme familiares, não tinha nenhuma relação com ele.

De acordo com o delegado Manoel Wanderley, da 14ª Distrital de Satuba, a mulher presa pelo crime alegou que Remerson teria estuprado uma irmã dela e que teria cometido o assassinato por vingança. A autoridade policial, no entanto, acredita que essa versão teria sido inventada para justificar a ação criminosa, e que a própria mãe da acusada afirmou que o estupro não aconteceu.

Para atear fogo em Remerson, a mulher usou dois litros de álcool que teria comprado anteriormente. Manoel Wanderley informou ainda que a mulher já responde por uma tentativa de homicídio contra outro homem – José Cícero dos Santos-, ocorrida no bairro Santos Dumont, no ano de 2015.

O delegado já instaurou inquérito e levou o material apreendido na casa onde ocorreu o crime para ser periciado pelo Instituto de Criminalística.

 

Por Gazeta Web

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário