Terça-Feira, 10 de Dezembro de 2019
Maceió

Moradores de bairros afetados pela mineração fazem protesto por indenizações

Por: Vale Agora Web em 28/11/2019 às 11:49

Moradores dos bairros afetados por rachaduras nos imóveis e afundamento do solo, decorrentes da exploração de sal-gema, iniciaram um protesto, na manhã desta quinta-feira (28), em trecho da Avenida Major Cícero de Góes Monteiro, no Mutange, em frente à unidade da Braskem. A pista foi fechada nos dois sentidos, comprometendo o tráfego na região.

Nesta manhã, o grupo se reuniu para, mais uma vez, pedir a indenização e, com ela, amenizar um pouco a angústia e os prejuízos que enfrentam desde que o problema veio à tona, há quase três anos. Comerciantes e integrantes do Sinteal [Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas], cuja sede fica no Mutange, também participaram.

Parte dos manifestantes vestiu camisas com mensagens cobrando providências da Braskem, petroquímica apontada como a causadora das falhas geológicas nestas localidades. Outros preferiram segurar bandeiras vermelhas ou brancas. Em cartazes e faixas, também há críticas ao governador Renan Filho (MDB), ao prefeito Rui Palmeira (PSDB) e ao Poder Judiciário.

O trânsito ficou parado enquanto o protesto acontecia. Os moradores também levaram um carro de som, por onde puderam expressar as dificuldades que sofrem e cobrar a reparação dos danos morais e materiais causados pela instabilidade do solo nestes bairros.

Moradores de bairros afetados pela mineração cobram indenizações durante protest

.

O ato foi marcado pelas redes sociais e compartilhado com o objetivo de cobrar indenizações aos que vivem no Mutange, Bebedouro, Pinheiro e Bom Parto. Parte desta população já deixou as suas casas e apartamentos por orientação da Defesa Civil e, nos próximos dias, será a vez de mais de 1 mil famílias deixar as moradias para evitar um desastre.

A manifestação, até o momento pacífica, está sendo acompanhada, de perto, por militares do Centro de Gerenciamento de Crises.

VERSÃO DA BRASKEM

A Braskem compreende e respeita o direito de manifestação das pessoas, e vem mantendo diálogo com a comunidade e os representantes dos equipamentos públicos e privados localizados na região de resguardo.

As medidas para encerrar definitivamente a extração de sal e fechar todos os 35 poços em Maceió foram apresentadas à Agência Nacional de Mineração e demais autoridades, e incluem a criação de uma área de resguardo em torno de 15 poços.

A estimativa é de remoção de aproximadamente 400 imóveis e 1.500 pessoas, mas o perímetro final da área de resguardo e as ações de realocação de pessoas estão sendo planejados em conjunto com a Defesa Civil de Maceió e outros órgãos públicos responsáveis.

A empresa se coloca à disposição para esclarecer dúvidas pelo telefone 0800-006-3029. O serviço está disponível das 9h às 18h e as ligações são gratuitas. A população também pode entrar em contato por meio dos pontos de atendimento nos bairros Bebedouro e Alto do Céu. Anote os endereços:

Associação dos Moradores e Amigos de Bebedouro

Rua Coronel Paranhos, 950

Funcionamento: 9h às 12h

Associação dos Moradores do Alto do Céu

Rua Santa Julia, 252

Funcionamento: 14h às 18h

 

Por Gazeta Web

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário