Quinta-Feira, 18 de Julho de 2019
Notícias

Mais mulheres relatam abuso sexual praticado por ex-servidor da Câmara

Polícia recebeu mais de trinta casos, mas quantidade de vítimas deve ser maior

Por: Vale Agora Web em 17/04/2019 às 5:57

201904151402_91d711d77aAo longo das últimas horas, mais mulheres denunciaram o ex- servidor público da Câmara de Maceió Benício Vieira de Lima pelo crime de estupro. A lista de vítimas não para de crescer e, nesta terça-feira (16), outros doze casos foram relatados à Polícia Civil. As investigações apontam que ele pode ter abusado sexualmente de mais de 30 mulheres.

A previsão é que hoje Benício seja encaminhado para o sistema prisional alagoano. Às vítimas foram atacadas, principalmente, nos bairros Jacintinho, Feitosa e Guaxuma. A polícia não descarta que a quantidade de mulheres violentadas tenha sido ainda maior, já que as ocorrências foram contabilizadas a partir de 2015.

De acordo com a delegada Ana Luiza Nogueira, gerente de Polícia Judiciária e que coordenou a operação que culminou com a prisão de Benício, “onze adolescentes e uma maior estão fazendo o reconhecimento. Chegaram novos casos, fora os casos citados de ontem. São mais de trinta vítimas”, apontou a delegada.

Benício Vieira de Lima, 46 anos, passou a ser investigado e foi preso nessa segunda-feira (15), após a Secretaria de Estado da Saúde procurar às autoridades de segurança pública e relatar o aumento de registros de violência sexual. “Ele deve pegar uma pena muito alta porque vai ser somado cada crime que ele cometeu, vai ultrapassar 100 anos, muito embora só possa cumprir o máximo de 30”, afirma Ana Luiza.

As vítimas de Benício – que era servidor público da Câmara de Vereadores de Maceió – tinham entre 11 e 17 anos, quase sempre foram abordadas na rua e eram forçadas a entrar em veículo e em seguida estupradas em cômodo de escritório, no Farol. Os inquéritos contra o servidor público tramitam em três delegacias especializadas.

Por Regina Carvalho | Portal Gazetaweb.com

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário