Sexta-Feira, 17 de Agosto de 2018
Política

Em Alagoas, candidatos iniciam campanha nas redes por doações de recursos

Por: Vale Agora Web em 30/07/2018 às 9:45
FOTO: NOTICIAS AO MINUTO

FOTO: NOTICIAS AO MINUTO

A eleição de 2018 está se mostrando um grande desafio financeiro para os candidatos que estão em busca de votos. Com a vedação da doação por meio de empresas, alguns políticos de Alagoas já estão buscando na doação virtual o caminho para que a população deposite sua confiança na proposta apresentada com uma contribuição financeira. Os recursos que chegarão do fundo partidário estão se mostrando insuficientes para o tamanho dos gastos.

Em uma procura nas páginas dos políticos alagoanos nas principais redes sociais, constata-se uma tímida campanha de alguns poucos candidatos em busca do apoio do eleitor.  Até o momento, o financiamento foi iniciado, apenas, por candidatos que projetam o “voto de opinião” e que visam a eleição para o Senado, Câmara e o Executivo. Já para deputado estadual a mobilização aproxima-se de zero.

Ente os candidatos que já foram em busca do apoio, destaca-se o deputado Rodrigo Cunha, do PSDB, que tenta uma cadeira no Senado Federal. Desde que começou o financiamento coletivo, ele recebeu 36 doações e já arrecadou cerca de R$ 4 mil. Ele aponta para a necessidade de reagir na construção de uma nova política.

Para o governo de Alagoas, o candidato Basile Christopoulos (Psol) já começou a campanha para financiamento coletivo de sua candidatura. Caso nenhum outro candidato coloque o nome na disputa até as convenções partidárias, Basile deve enfrentar sozinho toda a estrutura que o governador Renan Filho (MDB) prepara para o pleito de outubro. Desde que começou a captação de recursos, o candidato do Psol já conseguiu cerca de R$ 1,5 mil em doação na vaquinha virtual.

“Minha campanha será feita por pessoas. Sem máquinas, sem currais”, apontou ele.  A assessoria do governador Renan Filho foi procurada a se manifestar sobre como seria bancada a campanha à reeleição. Contudo, o emedebista não respondeu aos questionamentos. Filiado do MDB, acredita-se que Renan deve receber um grande apoio do fundo partidário que a sigla tem direito. Contudo, projeta-se que serão necessárias doações para que todo o custeio da campanha seja arcado, já que os partidos estão priorizando sobretudo as campanhas à Câmara Federal.

Procurados, alguns candidatos que vão disputar cadeiras na Câmara e no Senado argumentaram que pretendem realizar as campanhas de financiamento  depois das convenções, o que deve ocorrer até a próxima semana, mesmo que a Justiça Eleitoral já tenha liberado o processo para o período anterior. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) alerta para a necessidade de os candidatos seguirem todas as regras previstas em lei para as doações, correndo risco de punição casa de ilegalidade.

Por Jonathas Maresia | Portal Gazetaweb.com

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário