Quarta-Feira, 17 de Janeiro de 2018
Política

Presidente da ALE cobra elucidação das mortes de vereadores em Batalha

Por: Vale Agora Web em 20/12/2017 às 13:12
FOTO: ASCOM ALE

FOTO: ASCOM ALE

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (19), na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), o presidente da mesa diretora, deputado Luiz Dantas (PMDB), utilizou a tribuna para falar sobre os recentes casos de violência ocorridos na cidade de Batalha, onde dois vereadores foram assassinados nos últimos 45 dias. Ele pediu punição para os responsáveis pelos crimes.

“Quem sujou as mãos de sangue e cometeu seus malfeitos que pague pelas regras estabelecidas na legislação. Não há mais ninguém interessado na elucidação desses fatos do que eu e minha família”, enfatizou Dantas, durante o pronunciamento.

Líder político na região, Luiz Dantas cobrou celeridade da polícia na elucidação das mortes de Neguinho Boiadeiro – ocorrida no início de novembro – e Tony Pretinho, crime ocorrido na última sexta-feira (15).

Confira abaixo o discurso de Luiz Dantas na íntegra:

Recorro ao plenário do Poder Legislativo para externar minha posição frente aos lamentáveis acontecimentos registrados na minha querida Batalha. Há pouco mais de um mês, quando ocorreu o assassinato do vereador Neguinho Boiadeiro, adotei a posição de aguardar a conclusão das investigações.

Na avalanche de especulações de toda ordem, resolvi permanecer em silêncio. Meu sentimento se mantém no sentido de que o aparato de segurança do Estado elucide o crime e puna seus responsáveis na forma da lei. Disse ainda, naquele momento de tensão, dor e apreensão, que confio na polícia, no governo e na Justiça alagoana.

Agora, Batalha, diante de mais um assassinato, volta a conviver com a violência. O clima de medo se robustece com a morte do vereador Tony Pretinho. Quero reiterar minha confiança nas instituições e na capacidade do aparelho policial alcançar esses criminosos.

Não há mais ninguém interessado no desvendamento desses fatos criminosos do que eu e minha família. Eu sou um homem avesso à violência e defendo a prevalência da justiça e da paz. Quem sujou as mãos de sangue e cometeu seus malfeitos que pague pelas regras estabelecidas na legislação.

Batalha quer viver em paz e o caminho da pacificação, da harmonia, passa pela prisão dos autores desses assassinatos. Como disse meu filho Paulo Dantas, queremos a completa elucidação. Este é o clamor da nossa família. Continuo depositando minha confiança nas instituições locais, acreditando no destemor e na competência da força-tarefa montada pelo Estado. É preciso dar um basta a essa intranquilidade que infelicita nossa região.

Por Gazetaweb, com Ascom ALE

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário