Sexta-Feira, 17 de Novembro de 2017
Saúde

Falta de estrutura e atraso de verbas suspende atendimento a gestantes em duas maternidades de Maceió

Por: Vale Agora Web em 21/07/2017 às 19:59

460e355d9f134dbcb493f287c16e5fee_dsc_0014.1-350x233Gestantes que precisarem recorrer a atendimento médico a partir desta sexta-feira, 21, em Maceió, não poderão contar com duas maternidades que comumente oferecem este serviço. É que a falta de estrutura e o atraso no repasse de verbas fizeram com que o Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes  (HUPAA-Ufal) e o Hospital do Açúcar suspendessem o atendimento a esse tipo de pacientes.

Temendo a superlotação, a direção da única unidade de saúde especializada em gestantes de alto risco do estado, a Maternidade Escola Santa Mônica (MESM), veio a público se pronunciar a respeito do comunicado recebido pelo Complexo Regulador de Atendimento (CORA) que direcionaria de imediato todos os atendimentos para a unidade.

Em conversa com a reportagem do Alagoas24Horas a diretora Médica da MESM, Daniella Bulhões, disse que eles ainda não foram informados formalmente e esperam o contato das direções das unidades de saúde, mas que em respeito às gestantes e a sociedade alagoana, decidiu deixar claro que todas as pacientes serão atendidas, porém não sabe em que condições.

“Hoje nós já funcionamos com o excesso de seis pacientes de puerpério e quatro neonatal, mas não deixaremos de atender, apenas tememos ter que voltar a acomodar pacientes em cadeiras e macas pelos corredores da maternidade”, explicou, preocupada.

Após a comunicação oficial a diretora disse que estuda ainda procurar o Ministério Público Estadual (MPE), junto com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas  (Uncisal) e toda a rede materno-infantil do estado para ver como poderão proceder.

Confira a nota de esclarecimento da Maternidade Santa Mônica:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A direção da Maternidade Escola Santa Mônica (MESM) acabou de ser informada pelo Complexo Regulador de Atendimento (CORA) que, em virtude do fechamento do Hospital Universitário (decorrente de problemas estruturais), é a única unidade de referência para atendimento de gestantes e neonatos de alto risco no Estado de Alagoas.

Em respeito à sociedade alagoana, a direção da MESM informa que já está com seus 46 leitos ocupados e com excedente 6 (seis) pacientes acomodadas em camas e macas e nos corredores.

Para tranquilizar as famílias e gestantes, a direção informa que conta com uma equipe referenciada para atendimento de alto risco e lamenta possíveis transtornos que possam surgir em virtude da suspensão do serviço de referência do Hospital Universitário.

Em tempo, a direção reforça que, além do CORA, já estabeleceu contato com a Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Coordenação da Rede Cegonha do Município de Maceió e está tentando contato com Ministério Público, com o objetivo de promover um trabalho conjunto que colabore para melhor assistência de saúde possível diante da situação instalada.

Agradecemos a compreensão de todos!
Rita Lessa – Diretora Geral
Daniella Bulhões – Diretora Médica
Raphael Farias – Diretor de Gestão

Hospital Universitário

A assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), informou que a maternidade, localizada no sexto andar do Hospital, foi interditada devido a queda de um forro do teto e outros problemas na estrutura.

As pacientes daquele andar foram transferidas para outras alas e os serviços de reforma começam na segunda-feira, 24, mas sem previsão para conclusão.

A assessoria informou também que enquanto durar a reforma, o HU não fará novas internações de gestantes.

Confira abaixo a nota do HU na íntegra:

“As chuvas frequentes que caem sobre toda Alagoas ocasionaram o surgimento de fissuras e bastante umidade no forro de gesso do 6º andar do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), local onde fica situada a maternidade do HU.

Como medida de segurança, o espaço foi interditado e as pacientes internadas foram realojadas em outros espaços do hospital. Novos internamentos também estão suspensos. As medidas tomadas já foram comunicadas ao Complexo Regulador de Maceió (Cora).

Nesta segunda-feira (24), o Setor de Infraestrutura Física do HU já inicia os serviços na área para que o atendimento retorne o mais breve possível”.


Hospital do Açúcar

Uma denúncia chegou ao Conselho Estadual de Saúde (CES-AL) informando que por falta de recursos o Hospital do Açúcar  também não estaria atendendo grávidas em trabalho de parto.

Contudo, contrariando o que a denúncia diz, a assessoria do hospital informou ao Alagoas24Horas que a direção médica decidiu no final da tarde de hoje que irá receber parte da demanda de pacientes que seria encaminhada ao Hospital Universitário e que outra parte de seus leitos continuarão sendo direcionados ao atendimento de gestantes de risco habitual do Sistema Único de Saúde (SUS).

por: Déborah Moraes

Notícias Relacionadas

Não há comentários.

Deixe um comentário